Menu

27 de agosto de 2011

Talvez pudesses, só meu.

Estaria perdida em traços envolventes. Em cavernas obscuras e desconhecidas. Encontrar-me-ia em mantos de seda, em suspiros e melancolias. Se tu ouvisses o que teria a lhe dizer talvez tu não acreditarias, porém incluo minhas falas carregadas de sentidos carregados de amor. Talvez de dor. Tu descobririas que tudo pode ser disfarçado, basta apenas um bom ator. Não acreditarias no que te dissesse, pois sempre houvera acreditado no simples e no comum. Não acreditarias que o infinito coubesse em mim, embora mentira fosse, pois tal amor, ou dor, nem cabe em mim, quem dirá o infinito que possui amores, ou dores, de pessoas de muitas partes do mundo. Desconheceria o caminho, pois ele não faria sentido, te encontraria na metade, e tu acreditando em mim, acreditando em meus sentidos. Talvez pudesses me responder, depois de caminhar por quilômetros e ver extensas áreas cobertas de sentidos desencontrados e despercebidos, ignorados. Talvez pudesses acreditar no que eu sentia e pudesses sentir o mesmo, ou caminhar comigo. Talvez pudesses retribuir tamanha alegria, tamanha felicidade, entenderias o amor de verdade. Encontrar-te-ia e diria que o sol nunca houvera brilhado assim e que sua forma houvera mudado por hoje. Dirias que a lua nunca houvera iluminado tanto uma noite e apontaria para uma estrela e diria que um dia tu parecias ser e estar como ela. Tão linda que me fizeras sonhar e tão longe que quase me fizeras desistir. Longe como o fim do oceano e o fim da soma dos números, como a descoberta de todas as palavras e impossível como a conquista de tudo que se quer. Embora depois que te encontrarias e tu retribuísses tal sentido, eu teria tudo que preciso e mais do que mereço, minha felicidade seria completa se tu fosses meu. Intensamente meu e enormemente meu. Ou melhor ainda, só meu.

4 comentários:

  1. "Talvez pudesses retribuir tamanha alegria, tamanha felicidade, entenderias o amor de verdade."
    ameeeeeei amiga, estou mega feliz por você ter voltado. :)

    ResponderExcluir
  2. Amiiiiiiiiga! Fico feliz que você esteja feliz. De verdade. Pois então, HAHAHAHA! Não dá para abandonar aquilo que se gosta de verdade, não dá! HAHAHAHA. Obrigada por ter vindo Ana, beijos. <3

    ResponderExcluir
  3. Aiii que texto lindo! Sincero e profundo. Adooro mesóclises!
    Beijos.
    http://stupid-carol.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ahhh Carol! Muito obrigada, de verdade. Ah, que bom... Eu sou bem assim. HAHA. Fico feliz que goste! *O*
    Beijão flor.

    ResponderExcluir